Experimenta se amar!

segunda-feira, 4 de setembro de 2017


Hoje eu posso afirmar com segurança que uma das maiores conquistas da minha vida foi a autoestima. Digo isso porque eu já estive do outro lado (sem amor próprio) e reconheço a diferença. Ter todo esse amor pela pessoa que sou e por tudo aquilo que faço faz com que eu sempre priorize o meu bem estar e fuja de situações que possam me causar algum mal.
Felizmente agora sei quem eu sou e tenho plena noção de onde quero chegar, mas nem sempre foi assim. Já fui totalmente insegura, introspectiva e travei milhares de batalhas em frente ao espelho; já tive vergonha de me apresentar diante de pessoas  e de me aventurar em algum novo projeto. E o fato de ser negra e possuir o cabelo crespo, numa sociedade em que havia um padrão estético discriminatório  teve um peso ainda maior. Mas sobre este ultimo ponto é algo que eu trato nesse post aqui Confere lá!
Mas o que é essa tão falada autoestima? A palavra é bem clara! Consiste numa estima por si mesmo, um gostar de si que faz com que você seja a prioridade em sua vida. Ter amor próprio é uma das mais belas formas de resistência e a primeira fase do empoderamento. É dizer não a todos os padrões massacradores que nos acercam e nos quais poucos  de nós se encaixam; é se amar, se valorizar e se conhecer. Consiste num esforço diário para se amar com todas as suas imperfeiçoes e compreender que isso é você.
Costumo falar que construir ou recuperar o amor próprio é uma mudança que ocorre de dentro para fora. É preciso estar disposto a fazer mais por si mesmo e a lutar contra todas as suas inseguranças (que não são poucas rsrs). Entretanto trata-se de um esforço que vale muito a pena. Nos amar nos torna leve, dá uma sensação de bem estar e preenchimento. 
Quando eu tinha autoestima baixa meu sonho era "ser bonita" e eu achava que quando isso acontecesse eu seria feliz. Hoje eu percebo que você é feliz quando se dá conta do ser incrível que você é e nem para pra pensar em padrões. Justamente porque o foco não é beleza em si, o que, por si só, já é algo muito relativo. Na verdade, autoestima tem a ver com a maneira pela qual você se reconhece e reconhece as pessoas ao seu redor. Precisamos nos enxergar verdadeiramente e reconhecer que somos muito além dos nossos corpos ou dessa máscara de bonito ou feio que tentam colocar em nós.
Toda vez que alguém me pergunta o que fazer pra ter autoestima eu sempre digo que é algo que cada ser humano, individualmente, precisa buscar. Afinal, não existe um manual de "Aprenda a ter autoestima"; seria maravilhoso se houvesse uma receita infalível, mas não há. Claro que a leitura nos auxilia ao sugerir mudanças e caminhos, mas ela, por si só, não será capaz de nos tornar seres confiantes de uma hora pra outra. Além do mais esse é um processo que varia de pessoa pra pessoa e cada um preciso olhar dentro de si mesmo e desenvolver técnicas diárias para aprender a se amar e valorizar. No meu caso uma das primeiras coisas que fiz foi me obrigar a ficar diante de um espelho, analisar o meu reflexo e repetir pra mim mesma: EU SOU LINDA. Eu fazia isso todo dia. E de tanto repetir, acreditei. 
Experimenta fazer isso; se permita enxergar o ser maravilhoso que você é e se amar em toda a sua inteireza. Não é tão difícil assim, vai? Se olha no espelho! Dá aquela piscadela pra você mesmo. (Um mulherão/homão desses!) Ter autoestima faz muita diferença nas nossas vidas e nos nossos relacionamentos pessoais e profissionais. Faça isso por você. Comece a se amar!

*Créditos: Caio Cunha.